Regras alternativas para política monetária e política fiscal na Nova Zelândia: uma avaliação preliminar das propriedades de estabilização

Resumo

Neste artigo, concentro-me nas propriedades de estabilização de abordagens simplificadas alternativas para a condução da política monetária e da política fiscal. O artigo é motivado por questões de interesse atual na Nova Zelândia, por exemplo, quais seriam os custos em termos de perda de credibilidade se o Banco da Reserva da Nova Zelândia tivesse objetivos múltiplos, em vez do objetivo exclusivo de estabilidade de preços, e se a suavização da produção pode reduzir significativamente os custos de ajuste da economia aos choques, sem comprometer as metas de longo prazo de uma baixa taxa de inflação e a evolução sustentável e prudente de longo prazo do orçamento do governo.

O artigo usa um modelo ilustrativo de uma pequena economia aberta com características como a da Nova Zelândia, desenvolvido enquanto o autor estava visitando a Nova Zelândia na primavera de 1966. A análise avalia várias combinações alternativas de regras monetárias e fiscais submetendo as variantes do modelo em que essas regras são incorporados a choques representativos. Os resultados da simulação são apresentados principalmente na forma gráfica. O artigo mostra que uma economia altamente aberta não pode ser isolada de choques, independentemente de como a política de estabilização macroeconômica é conduzida. Mas o artigo também sugere que as regras de política monetária que permitem a suavização do produto, além do objetivo principal de evitar a inflação, podem promover uma melhora marginal no desempenho econômico.