Competindo pela ordem: enfrentando a longa crise do multilateralismo

SUMÁRIO EXECUTIVO

Em setembro de 2020, no contexto da crise contínua da COVID-19, os chefes de estado ou governo de 170 países se reuniram - virtualmente - para comemorar a ocasião do 75º aniversário das Nações Unidas. Em um documento final que foi negociado durante o verão, eles incumbiram o Secretário-Geral de desenvolver idéias para revigorar a cooperação multilateral em doze áreas, desde saúde pública até paz e segurança.

Este não é o único processo pelo qual os governos buscam desenvolver ideias para enfrentar a crise em curso da ordem multilateral. Em vários agrupamentos informais, governos e instituições da sociedade civil começaram a buscar respostas para esta questão essencial: pode a ordem multilateral, na qual tantos confiaram, ser renovada em face da crescente tensão geopolítica, divisões sobre a globalização, e rápida mudança tecnológica? É uma pergunta que se tornou mais necessária e mais difícil com a eclosão da maior crise internacional de saúde pública em um século.

Este documento - lançado em um evento co-patrocinado pelo Ministro das Relações Exteriores, União Européia e Cooperação da Espanha, Arancha González, e pela Ministra das Relações Exteriores da Suécia, Ann Linde - tem o objetivo de ajudar os governos no processo de responder a essa pergunta. A intenção é desencadear o debate e estimular uma discussão contínua. Nossa esperança ao publicá-lo é servir de base para avaliações perspicazes dos governos à medida que desenvolvem estratégias para o rejuvenescimento do multilateralismo; mas também esperamos encorajar um senso de ambição nesse esforço, compatível com a escala do desafio que temos pela frente.