Confirmação de audição de fogos de artifício provavelmente será o novo normal

As audiências de confirmação do Comitê Judiciário do Senado para o juiz Brett Kavanaugh - nomeado do presidente Trump para preencher uma vaga na Suprema Corte - chegaram a um rouco comece esta semana. Os democratas reclamaram da pressa dos republicanos em iniciar as audiências antes de uma verificação completa do histórico de Kavanaugh. A polícia do Capitólio removeu os manifestantes por interromper a audiência. E os republicanos lutaram para redirecionar a audiência para as qualificações de Kavanaugh para uma cadeira vitalícia na Suprema Corte.

Na ausência de deserções surpresa dos republicanos, a maioria espera que o Senado confirme Kavanaugh em uma votação quase partidária até o final do mês, a tempo de colocá-lo antes que o Tribunal inicie seu novo mandato em 1º de outubro.

Se a confirmação for provável, por que tantos fogos de artifício? Uma vaga fundamental, um partidarismo intenso e uma maioria inclinada a quebrar as regras polarizaram notavelmente o conselho e o consentimento - estabelecendo um precedente para brigas por futuros indicados.



Uma luta processual pode unir os democratas

Com os republicanos do Senado provavelmente unidos em apoio a Kavanaugh, os democratas têm poucas chances de inviabilizar a indicação. É verdade que os democratas não lutaram muito contra o primeiro candidato do presidente Trump. Mas isso provavelmente ocorreu porque Trump nomeou um jurista conservador, Neil Gorsuch, para preencher uma vaga deixada por outro conservador, o falecido Antonin Scalia.

Essa nomeação é diferente: um Kavanaugh extremamente conservador substituiria o ex-juiz Anthony Kennedy, que era o restante do Tribunal eleitor swing .

Com os democratas enfrentando eleitores nos estados vermelhos e azuis em novembro, focar na transparência e na justiça é uma forma de unir os democratas do Senado contra Kavanaugh. Essa estratégia foi exibida na terça-feira, com os democratas reclamando que os republicanos estavam retendo dezenas de documentos. Os advogados do Partido Republicano que analisam documentos do serviço de Kavanaugh na Casa Branca de Bush já haviam liberado cerca de meio milhão de páginas de documentos para o comitê, determinando que uma grande parte não fosse divulgada ao público. A Casa Branca de Trump pretende reivindicar privilégio executivo sobre outras cem mil páginas. E na noite de segunda-feira, horas antes do início da audiência, a equipe jurídica de Bush despejou mais 42.000 páginas, permitindo que apenas os membros do comitê as visualizassem.

Os democratas gritaram, argumentando que os republicanos haviam minado a tradição do comitê de vetar totalmente os indicados antes das audiências. Mas pode haver uma fresta de esperança para os democratas. O foco no procedimento oferece potencialmente cobertura política para companheiros partidários que enfrentam corridas competitivas em estados vermelhos e roxos profundos neste outono. Na medida em que os democratas podem reformular o debate sobre Kavanaugh como uma questão de transparência, não de política, alguns democratas ameaçados podem estar mais inclinados a se opor a ele - potencialmente energizando os eleitores democratas em casa.

Kavanaugh é um indicado polarizador único

Neste verão, pesquisas de opinião mostrou que o público já havia polarizado profundamente sobre a nomeação de Kavanaugh. Quase três quartos dos republicanos e independentes apoiados no Partido Republicano apoiaram a confirmação; mais de três quintos dos democratas e seus seguidores se opuseram a ele. Essa lacuna partidária é semelhante às reações públicas a Gorsuch, mas mais largo do que para os indicados mais recentes para a Suprema Corte. Na verdade, Kavanaugh tem o mais baixo índices de aprovação desde o juiz Robert Bork em 1987.

Por que a pesquisa de Kavanaugh é tão ruim? Em grande medida, as atitudes das pessoas em relação ao presidente Trump provavelmente influenciam suas opiniões sobre Kavanaugh. Isso é notável, visto que o Tribunal polarizou mais devagar do que os outros ramos do governo. Claro, os democratas também retrataram Kavanaugh como um indicado extremamente conservador, um retrato apoiado por um novo estudar do registro de votação de apelação de Kavanaugh. As opiniões polarizadas dos eleitores são um sinal claro de que as reações intensamente partidárias às questões nacionais e aos políticos estão finalmente se infiltrando nas percepções do Tribunal. É improvável que essa tendência se reverta tão cedo.

Flexão de regras é o nome do jogo no Senado

Após a audiência de confirmação de Gorsuch em 2017 e pouco antes de os senadores darem votos de confirmação, os republicanos reinterpretado Regras do Senado para quadra a minoria de obstruir os nomeados para o Supremo Tribunal. A nova regra torna a audiência de Kavanaugh a primeira durante a qual um candidato precisa apenas de uma maioria de votos para ser confirmado pelo Senado. Assim que o Senado jurar que o ex-senador do Arizona, Jon Kyl, substituirá o falecido senador John McCain, os republicanos podem perder um voto republicano e ainda obter a confirmação de Kavanaugh se o vice-presidente der o voto decisivo.

Na ausência de qualquer necessidade de apelar para os senadores em ambos os lados do corredor, a mudança nas regras pode gratuitamente Kavanaugh deve ser menos acessível do que os indicados anteriores e contribuir para os fogos de artifício durante sua confirmação. Também pode ser por isso que o comitê está disposto a economizar, conduzindo audiências antes que Kavanaugh seja totalmente examinado.

Para ter certeza, os republicanos terão que colher o que plantaram quando o Partido Republicano eventualmente perder o controle da Casa Branca e da Câmara Alta. Mas, por enquanto, cimentar uma maioria conservadora em um tribunal polarizador parece particularmente importante para a maioria republicana. Tão importante, na verdade, que qualquer esforço para moderar a disseminação do partidarismo para os tribunais parece fadado ao fracasso.