Comissão de Inquérito da Crise Financeira: Será que Alguém Se Importa?

O Comissão de Inquérito de Crise Financeira iniciou suas audiências públicas para valer neste mês, trazendo os principais CEOs dos bancos diante de seus estimados membros. A audiência atraiu muita atenção da mídia e do público e coincidiu com a temporada de bônus em Wall Street, anúncio de lucros recordes, bem como uma proposta do presidente Obama de tributar os 50 maiores bancos e outras empresas por seu papel na crise econômica que quase deixou nosso país de joelhos.

A melhor coisa que se pode dizer sobre esta Comissão é que ela se sairá melhor do que uma comissão parlamentar poderia fazer. A supervisão ou investigação do Congresso é um oxi-idiota. A Comissão tem boas pessoas que farão um trabalho respeitável, mas ninguém se importará. A Comissão de 11 de setembro também fez um ótimo trabalho e ninguém se importou. Contanto que ninguém se importe, nem aja de acordo com o relatório, seria muito melhor economizar o dinheiro.

O público continuará tendo suas próprias noções sobre as causas do derretimento. Ela se divertiu quase tanto reclamando dos bônus de Wall Street quanto normalmente fica reclamando dos salários do Congresso. O Congresso redigirá uma nova lei regulatória antes que a Comissão faça seu relatório. Ele irá, de forma regular e implacável, bater em todos os interesses de que não gosta e acusar o vilão do momento de ser a causa 100% de todos os nossos infortúnios.



Muitas coisas estavam acontecendo na economia, e a culpabilidade está profunda e amplamente disseminada. Quase todos nós, certamente incluindo o Congresso, podemos compartilhar um pouco a culpa. Meu próprio julgamento é que esta investigação é um exercício infrutífero. Devemos deixar a escrita da história para os acadêmicos. O Congresso e a nação devem se concentrar na recuperação.