Casos difíceis: deslocamento interno na Turquia, Birmânia e Argélia

Em alguns países, os deslocados internamente estão fora do alcance das organizações humanitárias internacionais.

os humanos deveriam ir para Marte

Embora as populações deslocadas em questão possam ter extrema necessidade de assistência e proteção e possam se beneficiar imensamente de apoio externo, poucas ou nenhuma providência foi tomada, ou estratégias foram desenvolvidas, para obter acesso a elas. Enquanto o conflito é o fator inibidor em alguns casos, em outros, os governos envolvidos não solicitam ajuda e em geral rejeitam qualquer que seja oferecida. Raramente o Conselho de Segurança da ONU considera tais situações como ameaças à paz e segurança internacionais e exige sua entrada.

Os principais exemplos de governos que impediram com sucesso o envolvimento internacional com suas populações deslocadas são Turquia, Birmânia e Argélia. As situações nos três países são, obviamente, bastante diferentes. Na Turquia e na Birmânia, os governos desenraizaram deliberadamente as pessoas a fim de destruir seus possíveis vínculos com movimentos insurgentes. Na Argélia, o deslocamento é um subproduto do conflito, principalmente entre o governo e grupos insurgentes islâmicos.



Veja o artigo completo